Site Overlay

Cardápio de verão: saiba o que comer com saúde para se bronzear

O verão tem tudo a ver com férias, calor e diversão. Quem não quer aproveitar ao máximo esses dias de sonho? Portanto, para aproveitar ao máximo esse tempo de descanso e altas temperaturas, você deve ficar de olho na sua alimentação e no que está consumindo. A época mais quente do ano exige uma série de manutenções e ajustes para evitar que o corpo sofra, a começar pelo aumento da ingestão de líquidos. Em temperaturas mais altas, perdemos quantidades significativas de água e sais minerais. Portanto, os alimentos devem conter vários nutrientes para compensar essa perda e a hidratação deve ser duplicada nesta época do ano. Devemos beber líquidos ao longo do dia e nunca esperar sede, pois isso já é um sinal de desidratação, recomenda a nutricionista Luana Grabauskas.

Cardápio de verão: saiba o que comer com saúde para se bronzear

Trocas saudáveis no cardápio de verão

Também devido ao aumento da temperatura, recomenda-se a mudança de alguns hábitos para hábitos mais saudáveis ​​e leves, mais próximos do verão. Em dias de calor, deve-se evitar alimentos gordurosos e cuidar do local onde se vai comer. O risco de intoxicação alimentar é alto nesta época do ano. As altas temperaturas, aliadas à falta de higiene no preparo dos alimentos, estimulam a multiplicação de microrganismos, que aumentam a probabilidade de deterioração dos produtos, explica a nutricionista Thais Alessandra Fiori.

Além da gordura, os refrigerantes também devem ser evitados, pois contêm muito açúcar, muitos aditivos químicos e nenhum nutriente utilizável, afirma a nutricionista Luana. No verão, a taxa metabólica basal cai, o que significa que queimamos menos calorias durante o repouso. Por isso, devemos priorizar uma alimentação mais leve, afirma Luana. Por isso, também é importante não consumir muito sal, açúcar e bebidas alcoólicas, pois contribuem para a desidratação e promovem o acúmulo de gordura no corpo. Prefira alimentos mais leves, como saladas. As saladas são sempre uma boa opção porque são refrescantes e, além das fibras, que ajudam a equilibrar a flora intestinal, contêm vários nutrientes importantes para regular o metabolismo geral, explica Luana. Ela está procurando mais algumas dicas para se inscrever neste verão:

Dicas práticas:

• Consuma mais líquidos, de preferência água e sucos. Adultos e adolescentes devem consumir, em média, 2 litros e crianças, 1,2 litro por dia.• Inclua na dieta: frutas, legumes, vegetais, alimentos integrais, peixes e carnes magras.• Os sucos são curinga no verão. Aproveite para fazer um mix de frutas, vegetais e legumes, como um suco de acerola, cenoura e água de coco.• Cuidado com a higiene dos alimentos, lave-os e guarde-os apropriadamente.• Evite alimentos gordurosos (frituras, queijos amarelos, manteiga, maionese).• Cuidado com o excesso de sal, de açúcar e de bebidas alcoólicas.

Dentre os nossos produtos, as nutricionistas indicam:

• Arroz com Quinoa Orgânico, Arroz Agulhinha Integral Orgânico, Amaranto Orgânico: ótimas alternativas para o almoço ou jantar; pode complementar com cenoura ralada ou legumes cozidos;

• Farinha de Trigo Integral Orgânica, Farinhas Integrais, Açúcar Mascavo Orgânico, Calda de Agave: ideais para preparar bolos e tortas; a calda de agave é um substituto natural do açúcar, que pode ser incluído em sobremesas;

• Aveia Orgânica, Trio Orgânico, Biov’s Orgânicos, Granolas, Cookies Integrais Orgânicos: podem ser usados para diversificar o café da manhã e lanches intermediários, incluindo fruta e Biov Orgânico, que é um leite de origem vegetal;

• Linhaça Dourada, Chia: alimentos complementares que podem ser utilizados em sucos, saladas, iogurtes ou com frutas;

• Smoothies, Superfrutas e Frutas Crocantes, Sementes e Mix de Sementes: são alimentos ricos em vitaminas e minerais essenciais para essa época do ano.

Como se alimentar no horário de verão

Se para algumas pessoas a mudança para o horário de verão é motivo de alarme, para outras é menos! Embora o novo horário permita um maior uso da luz solar, lidar com mudanças no relógio biológico, como sonolência diurna, tendência a ficar irritadiço e falta de sono à noite, torna-se um distúrbio da vida. Isso ocorre porque normalmente nossos corpos levam até cinco dias para se ajustar às mudanças na programação.

Então, confira as nossas dicas de alimentação e boa adaptação ao novo horário:

• Mantenha os horários – fazer as refeições nos mesmos horários é importante para ajudar o organismo a se adaptar ao novo horário biológico.

• Prefira refeições leves – investir no consumo de frutas, verduras e alimentos integrais ajuda a manter o corpo com energia e facilita a digestão, pois esses alimentos possuem uma grande quantidade de fibras e nutrientes que facilitam a digestão, contribuindo para uma melhor qualidade do sono.

• Hidrate bem o corpo – beber bastante água, além de manter o corpo hidratado durante do dia, também evita interrupções no sono durante a noite.

• Evite alimentos estimulantes – consumir alimentos e bebidas estimulantes, como café, guaraná e refrigerantes à base de cafeína pode parecer uma boa ideia para manter o corpo ligado, mas os efeitos podem prejudicar a qualidade do sono, aumentando a sensação de cansaço no dia seguinte.

Alimentação para uma pele bronzeada

Na busca por uma pele mais bronzeada, a alimentação pode ser uma excelente aliada, pois o consumo de alimentos ricos em carotenóides, principalmente o beta-caroteno, potencializa e prolonga o efeito bronzeador.

Abóbora, mamão, laranja, sementes oleaginosas, gérmen de trigo, batata doce, beterraba, cenoura, pimentão, agrião, brócolis, couve, espinafre e repolho são exemplos de alimentos ricos em beta-caroteno. Portanto, auxiliam na produção de melanina, protegem a pele dos efeitos nocivos do sol, aumentam sua elasticidade e previnem o envelhecimento cutâneo. Além disso, esses alimentos também ajudam a fortalecer o sistema imunológico.

Alimentos com alta concentração de antioxidantes também ajudam a proteger a pele dos danos da exposição ao sol, previnem o envelhecimento prematuro e previnem doenças como a pele que contribuem para o câncer.

É bom estar ciente da quantidade de beta-caroteno ingerida. Em excesso, a substância pode causar o que é conhecido como hiperbeta-arotenemia, que provoca uma alteração na cor da pele e deixa as palmas das mãos e os pés amarelados. Sem falar que quando o beta-caroteno é absorvido pelo corpo, ele é convertido em vitamina A, que em grandes quantidades pode causar sérios danos ao fígado. Portanto, é ideal consumir em torno de 4 a 6 mg por dia.